António Marinheiro, de Carlos Paredes

António Marinheiro” é uma das minhas peças predilectas de Carlos Paredes.
Composta para a peça de teatro homónima de Bernardo Santareno (1967) (António Marinheiro – O Édipo e Alfama) ganhou vida própria através do disco “Movimento Perpétuo”, e claro, pelas mãos dos guitarristas que a mantêm viva.
Adaptada à Guitarra Russa de 7 cordas, mantém uma ressonância estranhamente próxima. Apesar da distância, um antepassado comum une estes dois instrumentos – a cítara, cuja afinação em terceiras a guitarra russa herdou e mantém, e a guitarra portuguesa, que para além dos aspectos organológicos óbvios, a desenvolveu.
António Marinheiro é a primeira de cinco peças de Paredes que transcrevi. A música de Paredes, apesar de profundamente portuguesa, tem uma força anímica única que ultrapassa os estereótipos fáceis da melancolia lusa.

Polka “Sokolov”

A Polka “Sokolov” é uma peça atribuída a Ivan Trepanovich Sokolov, embora não haja provas de que tenha sido realmente o seu autor. Independentemente da autoria, o seu nome ficou associado a esta música popular. Sokolov, um músico cigano, foi líder de um coro Moscovita no início do séc. XIX.
Tocada num instrumento original de finais do séc XIX, que antes passou pelas mãos do meu amigo Agostinho Tico Rodrigues da Porto Guitarra para lhe minorar algumas pequenas maleitas características da sua vetusta idade.

Arranjo para a guitarra russa de 7 cordas da autoria do (grande) Sergey Orekhov (1935-1998).

Vasily Sarenko – Romance sem palavras

Vasily Sarenko (1814-1881) – Romance sem palavras

Василий Степанович Саренко – Романс без слов

Partitura – Sarenko – romance

Alexander Dargomyzhsky – Romance, transcrição de V. Sarenko

Alexander Dargomyzhsky (1813-1869) – Romance “Юноша и дева”(O jovem e a donzela), poema de Pushkin. Transcrito para guitarra russa de sete cordas por Vasily Sarenko (1814-1881)

Partitura – Romance (Dargomyzhsky/Sarenko)

“À un jeune homme, pleurant amèrement,
Une jeune fille se plaint.
Penché sur son épaule
Le jeune homme soudain s’endort.La jeune fille se tait brusquement,
Chérissant son sommeil léger,
Et lui sourit
Versant des larmes silencieuses.”Alexander Pushkin

Andrei Sychra – Variações sobre um tema popular

A Guitarra Russa de sete cordas tem um repertório próprio e riquíssimo desde o início do séc. XIX. Devido à sua afinação em sol maior possui um timbre característico. O repertório para este instrumento, pouco conhecido pela generalidade dos guitarristas ocidentais, nem sempre é possível de ser tocado numa guitarra convencional, a não ser com um elevado esforço ou sobretudo com a mutilação da sua ressonância característica. Decidi confundir dedos e neurónios e aprender a tocar numa afinação diferente. Deixo-vos umas pequenas variações do patriarca da guitarra russa, Sychra.

Andrei Sychra (Vilnius, 1773 – São Petersburgo,1850) – Variações sobre um tema popular ( “Как иэ-эа леса, лесочка”)

Partitura

  • “Sem a música, a vida seria um erro” – Nietzche