The Entertainer, de Scott Joplin (1868-1915)

The Entertainer, de Scott Joplin

The Entertainer (a ragtime two step) é uma música velhinha, daquelas que ficam obsessivamente no ouvido, e que são, como diria Oliver Sacks, um verme auditivo. Na juventude, toquei um arranjo simples e bastante incompleto desta música, para deleite de alguns amigos (especialmente do F.V).

Frontispício da edição original (Saint Louis, 1902)

Há algumas semanas, o algoritmo do YouTube levou-me a este descontraído video de Richard Smith e Tommy Emmanuel. Se Tommy não toca neste video, a sua presença vale pela sua alegria durante e depois da performance.

Mais uma vez, o carácter viciante desta peça não me largou durante uns dias. Decidi então fazer um arranjo a partir do original para piano. A tonalidade original (em Dó) não se adapta bem à guitarra, e tal como Richard Smith, optei pela tonalidade de Ré para o arranjo, mantendo, tanto quanto a tessitura da guitarra o permite, as características do original. Em breve, farei uma gravação.

Não é propriamente uma peça típica do repertório clássico-romântico a que me tenho dedicado nos últimos anos, mas o carácter divertido da peça recorda-me tempos mais ingénuos.

Entretanto, para quem queira experimentar, o arranjo está disponível nas plataformas de venda de partituras Scorexchange, Sheetmusicplus e MusicaNeo, ou ainda em formato Kindle na Amazon.

  • “Sem a música, a vida seria um erro” – Nietzche